“Quero trazer a memória aquilo que me trás esperança”,volta e meia me pego cantando essa canção, inspirada no versículo de Lamentações 3:21 e com isso minha mente voa… E assim vou percebendo o quão  incrível o ato de parar, também significa saborear a vida,  eu como dançarino amo o movimento, mas nesses últimos meses tenho percebido que há mais movimento na pausa, do que pausa no movimento. É aquele tempinho que a gente vai entendo as coisas, inclusive que o tempo, é uma dádiva, e somos responsáveis pelo que fazemos com ele. Em tempos difíceis nos vemos obrigados, a pensar, a refletir e a compreender a importância das coisas, e como algo tão simples pode trazer um significado tão importante. Um cheiro, um sabor, um toque, uma imagem, uma palavra carregam  consigo SIGNIFICADOS.

Com isso queria compartilhar algo simples, mas que carrega muito significado. Sou dançarino, como disse no inicio do texto, amo dançar, amo coreografar, amo ensinar, amo fazer aula, mas uns meses atrás me permiti a experimentar algo novo, nada relacionado a dança. E assim com a ajuda de uma amiga e uma excelente professora, me permiti a conhecer a arte de bordar. Sim bordar! Era um universo extremamente desconhecido para mim, confesso que ainda é, estou bem no inicio, mas  não tinha consciência quantas lições uma linha, uma agulha e um bastidor podem nos ensinar. A primeira delas é: Se permita a aprender! Você não precisa saber de tudo, e deixar  o controle de lado implica em vivenciar de forma mais leve. É descobrir o contentamento a cada passar de linha e aos poucos ver o desenho ganhando forma. Aventure-se, o novo é desafiador, a principio assusta, mas daí me lembro que o próprio Cristo nos diz ser esse caminho, o que nos dá a segurança de que Ele estará conosco,  e estaremos nele. Esse caminho é uma pessoa, e Ele esta vivo. Isso me remete a segunda lição: Seja paciente! Saber como é o desenho não significa que ele já está pronto. É o já é, e o ainda não da vida cristã. Quando focamos demais no ideal, nos esquecemos do real, então saiba encarar os processos e a desfrutá-los. Momentos difíceis também trazem consigo ensinamentos, e  muitos frutos podem ser gerados a partir daí. Lembre-se  há como desatar os nós da linha. Contemple! Aprenda a enxergar a beleza. Lembre-se, Deus ao terminar cada processo de criação, parava e via que era bom. Não deixe com que a impaciência e a ansiedade  lhe roubem os olhos. Pare. Suspire e Respire fundo. Se necessário faça isso de novo, e de novo e de novo… Há significado, há cores, mesmos nos dias nublados. Mas que ao contemplar,a sua vida, seu coração se encha de gratidão.

Encerro por aqui agradecendo a minha professora Cléo Souza que me ajudou a conhecer essa arte tão incrível, mas enquanto escrevia lembrei-me de uma outra canção que diz :

“Se você olha do avesso

Nem imagina o desfecho

No fim das contas, tudo se explica

Tudo se encaixa, tudo coopera pro meu bem

Quando se vê pelo lado certo

Todas as cores da minha vida

Dignificam a Jesus Cristo, o Tapeceiro”.

Fomos tecidos por um grande artista que entende bem sobre o tempo, paciência, o contemplar, e sobretudo o que é AMAR.

Texto por: Felipe Ramos

Há momentos na vida que nos marcam de forma irreversível. Creio que não nos esqueceremos tão cedo da ausência do encontro, do afastamento forçado, do medo, da ansiedade, da angústia e da frustração de sonhos desfeitos, gerados neste momento da história.

Nestes dias em reclusão tenho refletido sobre o que gostaríamos de ser e o que de fato somos. A criatividade pode ser nosso maior inimigo, nos fazendo acreditar que estamos prontos para algo, quando, na verdade, não estamos; nos fazer crer que somos algo que nunca seremos.

Em uma rápida busca sobre processo criativo, ou passo a passo para criar, você vai encontrar uma infinidade de dicas sobre o que se deve fazer. Eu mesma, como artista, poderia compartilhar minha metodologia para escrever uma dramaturgia ou um romance. Imagino que nos próximos meses esses informativos sobre criatividade irão fazer sucesso. Vasculharemos, também, nossas mentes de forma incessante, desesperados, sobre o quê fazer e como proceder.

Nosso anseio é sempre encontrar uma resposta para nossos problemas mais íntimos, e criatividade para lidar com nossa vida é a resposta, não é mesmo?
Acredito que todos nós, por sermos criados a imagem e semelhança de Deus, carregamos de forma diferenciada a capacidade de criar. Isso nos enche de vida e de um sentimento de profunda autonomia. Reside aí o perigo. Seja em tempos de crise ou não, recordo-me do Salmo 40:1 e o último versículo do capítulo, Salmo 40:17:

1.Coloquei toda minha esperança no Senhor; ele se inclinou para mim e ouviu o meu grito de socorro.
17.Quanto a mim, sou pobre e necessitado, mas o Senhor preocupa-se comigo. Tu és o meu socorro e o meu libertador; meu Deus, não te demores!

Para mim, o maior segredo em tempos de crise, ou em tempos de paz, é ter uma vida constante de oração. Retornando a Deus nossa capacidade criativa, na espera de que Ele diga quem de fato somos e como devemos proceder. Espero que este tempo fique marcado em nossa memória como um tempo em que a gente se aquietou e se lembrou que Ele é Deus.

 

Autora: Débora Lobo | @deboracmlobo