Deus determinou um dia para descanso e seis para o trabalho. Essa máxima nos faz ter certeza de que trabalho é uma marca de nossa identidade, somos um ser que no seu processo de produção se relaciona tanto com a criação e consigo mesmo. Mas, como tudo na vida, ao aplicarmos uma dose errada no que Deus construiu em nós, desrespeitamos a Sua criação e também a agredimos. Esses excessos se manifestam muitas vezes como cansaço incessante ou falta de motivação para atividades sociais. São um tensionar do corpo até um estado de exaustão e de desequilíbrio das emoções, isso provocado por uma relação errada com o trabalho.

Deus nos fez para que tenhamos comunhão com Ele também através da nossa capacidade de cuidar e desenvolver os recursos da Terra. Nosso processo de trabalho é um processo de adoração e precisamos tratá-lo de forma a glorificar a Deus.

Deixe o Espírito Santo te levar junto as águas de descanso e trazer refrigério para sua alma, onde o Bom Pastor te leva a descansar e te dá o suficiente para sua interação com a Terra. Seu trabalho é um lugar potencial de manifestação da glória e da graça de Deus, por isso, precisa ser encarado com equilíbrio e maturidade, respeitando seus limites e confiando sempre que Ele já nos deu tudo o que precisamos.

Este assunto e muitos outros aprofundaremos na escola de Negócios e Reino em novembro. Faça já sua inscrição.

Texto: Jader Lopes

Em 2021 Deus nos chamou ao amadurecimento.
Aos poucos fomos voltando às atividades dentro da nova realidade que a sociedade tem vivido no cenário de pandemia. O número de alunos por escola reduziu, os cuidados aumentaram, a máscara se tornou acessório básico.
Mas em meio a esse novo cenário em que o distanciamento físico foi necessário, Deus falou para nós sobre unidade…

Em Efésios 4.4-6, Paulo disse:

“Há um só corpo e um só Espírito, assim como a esperança para a qual vocês foram chamados é uma só; há um só Senhor, uma só fé, um só batismo, um só Deus e Pai de todos, que é sobre todos, por meio de todos e em todos”.

Em Romanos 15.5-6, o apóstolo falou:

“O Deus que concede perseverança e ânimo dê a vocês um espírito de unidade, segundo Cristo Jesus, para que com um só coração e uma só voz vocês glorifiquem ao Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo”.

A Palavra está repleta de mensagens sobre a unidade da Igreja, do corpo de Cristo. Deus aponta como devemos caminhar, não apenas para nós enquanto equipe, mas para todo cristão (1 Co 12.12-13;. Filipenses 2.1-2; Ef 4.3).

Tem sido tempo de enxergarmos os desafios da missão, de entendermos também o que Deus quer nos ensinar individualmente e coletivamente. Tempo de compartilharmos a vida, de nos arrependermos, de expormos ainda mais nossas vulnerabilidades com humildade para reconhecermos que temos família na missão… que SOMOS família pelo sangue de Cristo. Tempo de conhecermos mais intimamente o outro, de ouvirmos coisas novas, de descobertas, surpresas, cuidado, graça, MUITA graça… nas lágrimas, nos risos, na dança, na oração, nos ouvidos disponíveis, nos conselhos sábios, no relacionamento, no desejo de aprendermos mais de Deus juntos, de voltarmos a ter intimidade com Ele, de rememorarmos aquilo que Ele já nos falou e firmarmos ainda mais nossa confiança e esperança n’Ele…

O Pai nos chamou para vivermos essa unidade, apontando para Cristo e glorificando a Ele. Esse foi um chamamento de Deus em um ano de tantos desafios que nos levaram a entender esse amadurecimento. Olharmos um para o outro e reconhecermos a irmandade, pedirmos perdão, perdoarmos e entendermos que estamos juntos.

É um impulso d’Ele para O conhecermos mais profundamente, sairmos do nível em que estávamos e irmos além. É um impulso de chamado!
Em meio a isso, o desejo de aprendermos mais da Sua Palavra que liberta, que é viva e eficaz tem sido latente.

Através das Escrituras temos sido renovados e preparados para o novo tempo, os próximos passos a serem dados. O Pai tem nos transformado de glória em glória em quem Ele quer que sejamos… um passo de cada vez e a boa obra continua em nós até que Cristo volte!

Enquanto isso, vivemos o JÁ e o AINDA NÃO.

Nesse tempo, Deus tem nos preparado, nos afiado como flechas e nos amadurecido em Sua Palavra que é nosso escudo em todo tempo.

“Afiem as flechas, levantem os escudos” (Jeremias 51.1).

A cada dia Suas misericórdias têm se renovado sobre nós e Ele mesmo nos dá bom ânimo…

Soli deo gloria.

“Lave bem as mãos!”, “não saia de casa!”, “fique a um metro de distância das pessoas!”, “use luvas e máscaras!”. Essas e diversas outras têm sido as orientações que mais temos ouvido nesses últimos tempos. Estar em casa tem me lembrado de outro meio de comunicação um tanto esquecido por muitos e que agora tem falado bastante: o corpo. Sim, o corpo, um lugar sagrado onde o relacionamento acontece, onde, de fato, é o ponto de encontro entre o de “dentro” e o de “fora”. Lugar onde, nos dias atuais, tem quebrado as regras da física, pois mesmo parado está em constante movimento. Dentro de si, há tanto barulho, há tantos gritos mudos, tantas dúvidas e temores transformados em noites sem dormir, nostalgias, o que me faz repetir que, por mais parados que estejamos, nossos corpos se encarregam de apresentar o seu próprio discurso.  Estar em casa esses dias para muitos tem sido o tempo em que, de fato, as pessoas têm se encarado diante do espelho, e isso implica reorganizar, pensar o que é importante na vida, pensar no que realmente tem valor. Falar de corpo é falar de história. Mas como posso falar dessa história se ela ainda está em processo? Vai ficando claro que suposições erradas sobre Deus, levam-me a conclusões erradas sobre mim. Então para entender um pouco mais, preciso perguntar ao Criador dela. Aprendo que carrego em meu corpo uma identidade dita por Ele a mim. Resgatando essa relação com meu Criador, vou entendendo o que Jonathan Edwards quis dizer quando afirmou “raios dispersos, mas Ele é o Sol”, quando eu experimento qualquer razão, emoção, amor, graça, bondade, beleza ou poder reais num outro alguém ou algo, Ele é o sol que encontramos enquanto refletimos os raios da sua verdadeira Fonte. Ele pode moldar, expandir, iluminar e se desenvolver em nós de modos que nenhuma quantidade de dinheiro, poder, amores, impulsos ou qualquer outro objeto de adoração concebível o possa. Mesmo depois de tantas buscas, insisto em não desistir desse desafio chamado viver. Não me conformo em ser esse eterno paradoxo entre o real sentido do presente, sem deixar de esperar por um porvir imenso e infinito. Mesmo entorpecido pela rotina, tomo coragem para enfrentar meus próprios barulhos e meu vazio, entendendo que as respostas que tanto quero podem se tornar um convite a um novo olhar. 

Texto: Felipe Ramos

Nós da Missão Avalanche viemos por meio deste comunicado, esclarecer que visando a segurança e integridade física de nossos alunos, resolvemos cancelar as escolas que aconteceriam em março e abril, são elas: Cosmovisão e Aconselhamento. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Seguimos em observação do contexto local e buscando informações confiáveis de órgãos de saúde competentes. Entendemos que o cuidado é parte fundamental de nossa missão aqui na terra, e cuidando uns dos outros honramos a Deus. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Ore pelo Mundo, pelo Brasil, por Vitória. Seja prudente. Evite aglomerações, lave bem as mãos, se importe com próximo e guarde os abraços para em breve distribuí-los com amor. Solidariedade se faz de vários jeitos, vamos descobrir novas formas com toda essa situação. Continue nos seguindo nas redes sociais, e em breve daremos novas informações sobre as próximas escolas. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

ATENÇÃO: Se você é aluno inscrito nas escolas que foram canceladas (Cosmovisão e Aconselhamento em Sexualidade), favor entrar em contato pelo e-mail atendimento@avalanchemissoes.org